Início Bancada CPTM recebe propostas para construção da Estação João Dias

CPTM recebe propostas para construção da Estação João Dias

Será a primeira vez que uma estação do sistema metroferroviário vai ser construída e custeada pela iniciativa privada e doada ao Estado

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) receberá até o dia 5 de abril manifestação de interesse da iniciativa privada para implantação da estação João Dias, entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro, na linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú). O objetivo é dar a outras empresas a oportunidade de apresentar propostas equivalentes ou superiores à da Tegra Incorporadora, que propôs construir a estação e doá-la ao Governo do Estado.

Será a primeira vez que uma estação do sistema metroferroviário vai ser construída neste modelo de parceria. O anúncio foi realizado pelo governador João Doria e pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy nesta sexta-feira (15).

Os projetos, planilhas e demais documentos técnicos de outras empresas interessadas em executar a obra podem ser retirados no Protocolo de Licitações, localizado na rua Boa Vista, 175, térreo, centro, São Paulo, SP.

Conforme aviso público de doação publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 1º deste mês, a Tegra propõe doar os direitos sobre um terreno anexo à estação para implantação dos acessos ao local e arcará com os custos da construção estimados em R$ 60 milhões. A incorporadora tem interesse no investimento porque a estação de trens facilitará o acesso às duas torres corporativas que possui próximo ao local.

A nova estação – A Tegra já elaborou o projeto executivo da nova estação em cooperação com a CPTM para atender aos padrões técnicos da Companhia. Pelo projeto, a estação contará com uma entrada dentro do empreendimento da incorporadora e uma entrada principal na pista local da Marginal Pinheiros.

Seguindo o modelo das demais estações da CPTM, o empreendimento contará com edifício principal, passarela de acesso à plataforma central e terá escadas rolantes, fixas e elevadores, garantindo acessibilidade a todos os passageiros. O prazo previsto é de execução em 37 meses. A demanda prevista é de cerca de 10.500 mil usuários por dia útil.