Início Notícias do PSDB Depoimento evidencia influência política em operações do BNDES, avalia Macris

Depoimento evidencia influência política em operações do BNDES, avalia Macris

Na última terça-feira (14) a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ouviu o empresário Mário Celso Lopes, ex-sócio dos irmãos Joesley e Wesley Batista no grupo de investimentos J&F. O colegiado é presidido pelo deputado Vanderlei Macris (SP). Mário consta como testemunha do contrato que embasou toda a transação e que, segundo o relator da Comissão, causou prejuízos bilionários aos cofres públicos.

Em depoimento, o empresário afirma que foi sócio do grupo J&F na empresa de reflorestamento Eldorado e juntos obtiveram o financiamento para a construção de uma fábrica de celulose, pelo BNDES. Complementa ainda, que não participava das negociações com autoridades, e que em 2010 desfez a sociedade.

O deputado Vanderlei afirma que o depoimento de Mário foi de suma importância e que a relação entre ele e os irmãos Joesley e Wesley ficou clara. Segundo o deputado, é evidente a influência política que existia nas autorizações do BNDES de financiamento para o grupo empresarial. O tucano reforça que a CPI está criando condições para apresentar um relatório focado nos contratos internacionais que o banco fez.

Macris ressalta que os depoimentos serão analisados juntamente com os documentos recebidos do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público, além das delações premiadas. Assim, a comissão poderá explicar efetivamente para a sociedade o que se passava no banco de fomento.

Também esteve presente na comissão o deputado Lucas Redecker (RS), que sugeriu a realização de acareações para esclarecer pontos da investigação. “Os investigados falam apenas o básico do básico e não ‘abrem o jogo’” afirma.

A comissão recebe na tarde de hoje (15) o ex-secretário-adjunto da Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda Rodrigo Toledo Cabral Cota e a ex-secretária-executiva da Câmara do Comércio Exterior (Camex) Lytha Battiston Spíndola. Na próxima quarta-feira (22), o colegiado irá receber o ex-ministro Guido Mantega.

Com informações do PSDB na Câmara