Início Artigos Espaço público e a saúde na terceira idade

Espaço público e a saúde na terceira idade

Por João Galassi

Campinas é uma cidade que possui importantes e grandes espaços públicos na área central, tais como o Largo do Rosário, o calçadão da Rua 13 de Maio, as praças Carlos Gomes e Bento Quirino, o Largo do Pará, Largo da Catedral e o Largo das Andorinhas, entre muitos outros.

Transformar estes espaços em áreas de integração social e promoção da saúde, principalmente entre as pessoas da terceira idade, que hoje representam cerca de 15% da população campineira, é uma das prioridades do PSDB de Campinas.

Atividades como a prática da Ioga, dança, alongamentos, meditação, esportes adequados à terceira idade, entre muitas outras, podem ser implantadas na região central, e, oportunamente, ser estendidas aos bairros e distritos da cidade, sempre reconhecendo e respeitando as singularidades da pessoa idosa e sua percepção sobre o espaço público.

Em lugares como a China, que há pouco tempo era um país praticamente agrícola, que passou por um processo de urbanização vertiginoso e com uma população cada vez mais idosa, o uso de espaços públicos neste sentido é cada mais recorrente, com resultados muito positivos para a saúde da população.

Em Campinas a implementação destes mecanismos fará parte do Plano de Governo do PSDB, que será apresentado à população nas eleições municipais de 2020, como parte de um projeto ainda maior dentro da área de Saúde para o município, e poderá contar com a participação do Poder Público e da iniciativa privada.

Este projeto não transcende de modo algum as atividades já exercidas por boa parte da população, como as corridas e caminhadas. Ele tem por objetivo complementar e agregar ainda mais os campineiros na prática de esportes, entre pessoas de todas as classes sociais, que não têm nenhum ou pouco tempo para a prática de atividades esportivas, como as propostas acima.

O uso do espaço público neste sentido, além de promover a saúde da população idosa, atua ainda como agente de inclusão e integração social, de propiciar o sentimento de pertencer a uma cidade que acolhe, cuida e ensina a conviver com as diferenças.

O Brasil é um dos países que têm o envelhecimento populacional mais acelerado do planeta. Em 2025 seremos a sexta maior população idosa do mundo, com 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Por isso a necessidade urgente da criação de mais políticas públicas efetivas, que possam oferecer maior qualidade de vida para a terceira idade também em Campinas.

*Presidente do PSDB Campinas