Início Bancada José Aníbal e Silvio Torres reforçam bancada após deixarem forte legado no...

José Aníbal e Silvio Torres reforçam bancada após deixarem forte legado no Governo de SP

A bancada do PSDB na Câmara ganhou nesta semana o reforço dos deputados José Aníbal (SP) eSilvio Torres (SP), que saíram, respectivamente, do comando das secretarias de Energia e de Habitação do Governo de São Paulo. Ambos deixam o primeiro escalão de Geraldo Alckmin com um legado expressivo em suas pastas e agora fortalecem a bancada tucana na Casa. Com o retorno deles, o PSDB passa a ter 44 deputados em exercício.

Aníbal e Torres já participaram da reunião da bancada realizada nesta terça-feira (8), onde foram saudados pelos colegas de partido. “Estou muito feliz por voltar à Câmara. Gostaria de cumprimentar nossa bancada e nosso líder pela brilhante atuação. Venho somar, como um soldado a serviço do partido”, disse Torres.  “A hora de voltar não poderia ser melhor”, completou Aníbal.

Torres volta para cumprir o restante do seu quinto mandato consecutivo como parlamentar. “Tenho a consciência das realizações e limites do nosso trabalho, que aponta para metas inéditas de produção habitacional, reurbanizações, regularização fundiária, parcerias e muitos atendimentos priorizados para famílias de menor renda”, disse Torres na cerimônia de despedida da Secretaria ocorrida semana passada.

O tucano fez um balanço dos três anos e quatro meses de gestão. Informou, por exemplo, que 624 municípios paulistas estão recebendo atendimento habitacional do Governo de São Paulo, que correspondem a 96% das cidades do estado. Desses, 362 cidades estão sendo beneficiadas com a construção de 34.807 moradias da CDHU e 5.070 obras de urbanizações, em investimento de R$ 2,7 bilhões. Além disso, mais de 35 mil unidades habitacionais foram entregues na atual gestão em 224 cidades do interior paulista.

Segundo dele, o governador inovou a política habitacional do estado. “Alckmin ampliou o leque de atendimento com a criação da Casa Paulista, acelerou os processos de produção de moradias da CDHU e criou novos programas para garantir moradia digna para quem precisa. Fico satisfeito em apresentar os números, porque representam a evolução do setor. Vamos fechar o ano com números recordes”, destacou.

Mais qualidade na energia

Aníbal, por sua vez, prestou recentemente contas de sua gestão em reunião na Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Na ocasião, o tucano destacou a melhora nos índices de continuidade no fornecimento de energia elétrica e as ações do governo paulista para incentivar a participação de renováveis na matriz energética estadual.

No cargo desde 2011, o tucano falou sobre a melhora nos índices que medem a qualidade do serviço de distribuição de energia elétrica no Estado de São Paulo, enaltecendo a queda nos níveis de DEC (período sem energia) e FEC (frequência de interrupção de energia) das distribuidoras, segundo critérios da ANEEL. “Houve uma ação forte por parte da Secretaria para que as distribuidoras investissem em todos os setores para melhorar o fornecimento de energia à população de São Paulo. Hoje, as cinco principais concessionárias do Estado têm os menores números em interrupções no fornecimento e horas sem energia do Brasil”, afirmou.

A evolução da confiança dos consumidores nos serviços prestados pelas distribuidoras de energia (Eletropaulo) e gás canalizado (Comgás) da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), segundo mostra pesquisa do IBOPE Inteligência, foi lembrada por Aníbal. Outro ponto destacado pelo secretário foi a queda da Eletropaulo no ranking de reclamações do PROCON-SP, onde a distribuidora de energia da RMSP caiu 18 posições, passando do 3º lugar em 2009 para o 21º posto em 2013.

O Plano Paulista de Energia (PPE), que propõe políticas públicas para o desenvolvimento sustentável do Estado de São Paulo, com foco em energias renováveis e eficiência energética também foi destacado. O então secretário também abordou o intenso trabalho da Secretaria em busca de aumentar a geração de energia por fontes renováveis, como o “Atlas Eólico”, o “Potencial Hidroelétrico Remanescente”, o “Levantamento do Potencial de Energia Solar Paulista”, além de Cooperações Internacionais para troca de conhecimentos tecnológicos, entre outros temas.

Aníbal está no PSDB desde 1990. Na legenda, foi presidente, líder na Câmara e deputado federal por cinco legislaturas. “A maioria da população já indicou que esta temerosa com a inflação, ou seja tem medo da carestia do custo de vida, dos salários diminuírem em relação ao que precisam. Não adianta essa alucinação petista de querer responsabilizar a oposição. Queremos o melhor para o Brasil e é para isso que trabalhamos, mas não nesse estilo que está desmoronando e não vai resistir”, frisou.