Início Notícias do PSDB Para Doria, PSDB é ator importante em frente ampla para 2022

Para Doria, PSDB é ator importante em frente ampla para 2022

Igor Gielow – Da Folha de S. Paulo

O PSDB tem de estar sentado à mesa principal das discussões sobre a frente contra Jair Bolsonaro e a esquerda em 2022 e disposto a abrir mão da sua joia da coroa, o governo paulista. A avaliação é do principal nome da sigla, o governador João Doria (PSDB-SP).

Em uma conversa em que só faltou admitir abertamente o segredo de polichinelo que é sua pretensão, ele foi claro: “Não sou candidato à reeleição”, disse, sentença para a qual o corolário é óbvio.

Defendendo uma frente em nome de um “novo Brasil” e se dizendo um antiextremista, Doria não rejeita o poder de seu grande ativo eleitoral até aqui: o fato de que São Paulo poderá avançar rapidamente com sua campanha de vacinação contra a Covid-19.

Também diz que o manejo da pandemia, em oposição à balbúrdia da gestão Bolsonaro, será ativo eleitoral em 2022.

Doria nega o caráter de estelionato eleitoral na decisão de regredir nas fases de abertura de economia no estado após o segundo turno do domingo (29), no qual seu ex-vice na prefeitura paulistana, Bruno Covas (PSDB), foi reeleito.

Há um consenso de que neste pleito o centrismo ganhou, e o presidente Jair Bolsonaro e a esquerda foram os principais perdedores. O sr. concorda? Isso indica algo para 2022? Eu concordo. Os perdedores foram os extremos nessa eleição. Olhando o Brasil, tanto a extrema esquerda quanto a extrema direita. Talvez seja cedo para dizer que a indicação de 2020 seja válida para 2022, mas ela é uma bússola. A população votou contra o populismo de direita e de esquerda.

A pandemia também tem ajudado a definir o gosto do eleitor este ano pela continuidade e, tudo indica, será dominante em 2021. O sr. acredita que a vacina e o comportamento na pandemia serão um ativo político em 2022? Não acredito que a vacina, mas aqueles que trabalharam ao lado da medicina, da ciência e da saúde. Esses terão um ativo reconhecido. Os negacionistas perderam seus ativos.

Falando em vacina, a Coronavac deverá ter documentação pronta para registro na Anvisa já na semana que vem? Provavelmente até 15 de dezembro, segundo todas as indicações. Ela já tem 95% de segurança e 97% de resposta imune provada em testes. Foi a maior testagem de vacina no Brasil. A Anvisa tem no limite 30 dias para fazer sua manifestação final e definitiva. A partir disso, e espero que ela seja isenta na análise, a vacina pode ser usada.

Lembrando o episódio da suspensão dos testes, o sr. teme que possa haver algum atraso de cunho político? Espero que não. Espero que a Anvisa seja vigilância sanitária, não vigilância ideológica.

Há duas semanas, o sr. chamou de fake news a ideia de que haveria mais restrições depois das eleições. Covas falou que a situação na capital era estável. Ainda assim, na segunda (30) veio o anúncio. Não foi isso. Na realidade eu gravei um vídeo afirmando que era mentira que iríamos fechar o comércio, bares e os restaurantes depois da eleição. Isso foi produzido pelo gabinete do ódio ou seguidores dele. E não fechamos.

Leia a entrevista na íntegra AQUI