Início Destaques Garcia ingressa no PSDB com união de lideranças e militância

Garcia ingressa no PSDB com união de lideranças e militância

Em ato que contou com a presença das principais lideranças tucanas em São Paulo, o PSDB oficializou a filiação do vice-governador Rodrigo Garcia. A ficha de filiação de Garcia foi abonada pelo prefeito da capital, Bruno Covas, que enviou uma carta de boas-vindas ao novo companheiro de partido.

O presidente Marco Vinholi deu as boas-vindas ao novo tucano e afirmou que o ato de filiação o remetia à fundação do PSDB, onde sociais-democratas, democratas cristãos e liberais se uniram em um partido para mudar o país.

Ele lembrou ainda das gestões tucanas em São Paulo, iniciando com o choque de capitalismo proposto por Mario Covas. “Esses 27 anos do PSDB mudaram o nosso estado e estão mudando até hoje”, disse. ” Ao longo desse período muitos desafios foram enfrentados, mas talvez o maior deles tenha vindo em 2020″, afirmou, se referindo à pandemia e citando as ações tomadas pelo governador João Doria, entre elas a vacina.

Vinholi afirmou ainda que assim como o governo, o partido também enfrentou desafios, sendo o maior deles a renovação. “É essa renovação que vai permitir a superação de tempos tão duros. Essa renovação foi o que conduziu o partido, que em 2019 muitos diziam estar acabado, a governar o maior eleitorado nas prefeituras em 2021”, justificou.

Segundo Vinholi, o momento era de união. “O Rodrigo vem para o PSDB para construir não uma eleição, mas uma geração de novos políticos”.

“O PSDB não é uma sopinha de letras, é um criador e fornecedor de grandes quadros da política nacional”, disse o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo. “Rodrigo Garcia, eu posso dar o testemunho, é um dos mais preparados homens públicos desse país”, disse.

“Essa é não é uma filiação, é uma exaltação. Na vida pública, tudo flui com tranquilidade quando é visto com naturalidade. E você é visto como um de nós”, afirmou Araújo.

Rodrigo Garcia iniciou seu discurso lembrando de sua convivência com tucanos como o governador Mario Covas, o senador José Serra e  o governador Geraldo Alckmin, a quem dedicou um registro especial.

“Não estou sentindo que esteja fazendo uma mudança, mas uma migração. O PSDB e o DEM estiveram juntos a vida inteira”, disse. “Não estou mudando de lado, venho para o PSDB para continuar defendendo as liberdades individuais, uma gestão eficiente, para continuar defendendo o antipopulismo, o antinegacionismo, o antirracismo. É nesse território, agora no PSDB, que quero continuar esse trabalho”, afirmou.

Ele ressaltou a coragem do governador João Doria. “A vacina simboliza o que é coragem, determinação, o que é crença, e simboliza muito você, que desde o primeiro momento não titubiou em nenhuma decisão que tomou, com convicção, correndo um risco altíssimo, apostou e venceu”, afirmou.

“Hoje, se estou  fazendo essa migração e concretizando um sonho, também devo muito a você, João”, disse. “É um dia muito especial para mim”, afirmou. “Efetivamente é um momento muito importante da minha vida. Eu fiquei 27 anos no Democratas e agora faço essa migração para o PSDB, essa casa que talvez sempre tenha sido minha”.

O governador João Doria deu as boas-vindas ao novo tucano e iniciou seu discurso com uma homenagem à história do PSDB. “O PSDB fez o melhor governo da história do país, o mais limpo, o mais democrático, o mais transformador com Fernando Henrique Cardoso. Isso é um orgulho para o PSDB e não podemos jamais esquecer as transformações que foram feitas aqui”, disse.

“Nesses 33 anos do PSDB nós fizemos governos decentes, honestos e transformadores em São Paulo”, falou Doria. “Se o PSDB continua governando é porque o povo reconhece os governos do PSDB”.