Início Destaques Mãe Paulistana: ideia do Serra que deu certo

Mãe Paulistana: ideia do Serra que deu certo

José Serra, candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, visitou nesta quarta-feira, 29 de agosto, a Central de Regulação do Mãe Paulistana, um dos programas mais importantes de sua administração na área de saúde, responsável por atendimento de alta qualidade e acompanhamento, desde que foi criado, de mais de 650 mil mães e bebês, do início da gravidez até o primeiro aniversário da criança. O Mãe Paulistana é mais uma ideia de Serra que deu certo e inspirou programas semelhantes em outros lugares do país.

Serra anunciou que vai ampliar o parto humanizado e o acompanhamento dos bebês que fazem parte do programa, que hoje é feito até 1 ano de idade, até os 3 anos.

A Central que Serra visitou fica na Av. Brigadeiro Luís Antônio, Zona Sul de São Paulo. Ali também funciona o serviço Alô Mãe, que realiza telefonemas e o acompanhamento das mães cadastradas no Mãe Paulistana que têm gravidez considerada de risco. “O Alô Mãe será expandido gradualmente, até atender 100% do Mãe Paulistana”, disse Serra. Ele também quer adotar o sistema nos mesmos moldes para acompanhamento de idosos e pessoas com deficiência. “Dentro desse mesmo esquema, que não é caro, é eficiente e muito humano”, afirmou.

A Rede de Proteção à Mãe Paulistana é um programa municipal de saúde, anunciado como compromisso na campanha de 2004 e criado por Serra quando foi prefeito de São Paulo. O objetivo é dar assistência de alta qualidade para a mãe usuária da rede pública de saúde e, com isso, garantir o conforto que antes era exclusivo da melhor medicina privada. Ao mesmo tempo, o programa, ao garantir a realização de todos os exames pré-natais, é responsável por queda importante na mortalidade infantil e de mães na cidade.

O atendimento inclui as consultas de pré-natal, o parto, o puerpério, além de consultas e exames para a criança após o nascimento. O índice de aprovação entre as participantes do programa chega a 86%, segundo pesquisa do Ibope realizada em 2008. “Antes existia a mãe peregrina, que ia de hospital em hospital. Agora, o que existe é a mãe orientada”, disse Serra.

Desde março de 2006, foram realizados mais de 670 mil partos. O Mãe Paulistana está presente em 436 Unidades Básicas de Saúde (UBS), 23 Ambulatórios Especialidades e em 37 hospitais. As grávidas cadastradas no programa têm direito a transporte gratuito para realizar consultas e exames e também recebem um enxoval para seu bebê, que inclui macacões, bodies e cobertor entre outras peças.

Um dos serviços prestados pela central de regulação é buscar vagas em maternidades para gestantes em casos de urgência. “As pessoas trabalham aqui com alto-astral, porque é gratificante”, disse.