Início Destaques SP tem queda de mortes e internações pela 2ª semana consecutiva

SP tem queda de mortes e internações pela 2ª semana consecutiva

Redução nas estatísticas semanais ocorre desde 12 de julho; números são reflexos de testagem e ampliação de leitos de UTI

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (03) que, pela segunda semana consecutiva, o estado de São Paulo registrou redução nos índices de óbitos e internações por coronavírus. A diminuição no número de mortes chegou a 8%.

“Pela segunda semana consecutiva, São Paulo tem queda de óbitos e internações pelo coronavírus. São boas notícias que nos enchem de esperança e precisam ser registradas, mas com prudência. Temos que manter o foco, continuar a quarentena e seguir tornando obrigatórios o uso de máscaras, o distanciamento social e os cuidados com a própria saúde, além de, obviamente, todo o atendimento para os pacientes infectados”, destacou o Governado João Doria.

Na semana de 19 a 25 de julho, o estado registrou um total de 1.870 óbitos por coronavírus. Já entre os dias 26 de julho e 1 de agosto, o número caiu para 1.719, o que significa queda de 8% nas estatísticas e 151 vítimas fatais a menos. A comparação entre os períodos de 12 a 18 de julho e de 19 a 25 de julho, já havia apontado redução de 4% nas mortes.

São Paulo também registrou queda de 2,5% no número de internações de pacientes infectados. Entre os dias 15 e 25 de julho, 12.874 pessoas foram internadas com coronavírus em todo estado. Na semana subsequente foram registradas 12.551 internações, ou seja, 323 pacientes a menos.

A comparação entre as semanas de 19 a 25 de julho e 12 a 18 de julho já havia indicado queda nas internações. A redução havia sido de 4% na cidade de São Paulo e também de 4% no estado.

Detalhamento

Os dados divulgados hoje apontam redução de 5% tanto para óbitos quanto para internações na capital. Na Região Metropolitana de São Paulo houve queda de 2% nas internações e de 29% nos óbitos. Já no interior, as internações caíram 1% e as mortes reduziram 5%. “Os dados sugerem que o interior pode também, assim como a capital, estar saindo do platô”, destacou o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn.