Início Destaques Tatuzão chega à futura estação AACD-Servidor da Linha 5-Lilás do Metrô

Tatuzão chega à futura estação AACD-Servidor da Linha 5-Lilás do Metrô

alckmin tatuzao aacdO Tatuzão chegou à futura estação AACD-Servidor da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo. Desde o início da operação da tuneladora Shield, que partiu do Poço Bandeirantes em setembro de 2013, mais de 2.400 metros de túneis já foram construídos. E foi nesta segunda, 30, que a roda de corte da máquina com 10,5 metros de diâmetro rompeu a parede de concreto, a última barreira que separa o túnel do corpo da nova estação.

“Aqui [Linha 5-Lilás] são dez estações que nós vamos entregar. Mais de 10km de Metrô. Chegando até Chácara Klabin, interliga com a Linha 2, e também até Santa Cruz, interliga com a Linha 1, a Norte-Sul. Uma expectativa de 780 mil passageiros dia, é a chamada Linha da Saúde, pois atende o Hospital do Servidor, a AACD, o Hospital São Paulo, o Hospital Edmundo Vasconcelos, muitas clínicas e muitos hospitais”, disse Alckmin na chegada do Tatuzão.

Para a expansão da Linha 5-Lilás, o Governo do Estado faz um investimento de R$ 8,9 bilhões, incluindo a compra de 26 novos trens. Um empreendimento que gera 5.500 empregos diretos. Após a estação Adolfo Pinheiro, entregue em 2014, serão mais 10 km de extensão e outras 10 estações: Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin.

Quando estiver pronta, estima-se que a AACD-Servidor vai beneficiar cerca de 22 mil pessoas diariamente. A estação ficará na rua Pedro de Toledo, entre as avenidas Ibirapuera e Professor Ascendino Reis, terá 25 metros de profundidade, 24.343 metros quadrados e será composta por dois acessos, duas plataformas laterais, 12 escadas rolantes, seis elevadores, além de um estacionamento com dois pavimentos.

A partir de agora, o Tatuzão passará por um período necessário de manutenção. Em seguida, será arrastada sobre a laje de fundo para ser posicionada no extremo oposto da estação e iniciar a próxima etapa de escavação, com destino à estação Hospital São Paulo. Esse Shield é uma das três máquinas empregadas na construção do prolongamento da Linha 5-Lilás. Ao mesmo tempo em que perfura o solo, ela também instala o revestimento estrutural do túnel, com anéis de concreto e fibras de aço.

Ao todo, a máquina percorrerá uma distância de 5,7 km, construindo 4,8 km de túneis entre os poços Bandeirantes (entre as estações Campo Belo e Eucaliptos) e Dionísio da Costa (após a estação Chácara Klabin), instalando 3.241 anéis. Nesse trecho ficarão as estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Em todo o percurso escavado até o momento, 1.613 anéis já foram instalados.

É a primeira vez na história do Metrô em que três tuneladoras trabalham simultaneamente em uma mesma linha. Os outros dois Tatuzões têm roda de corte menor (6,3 metros de diâmetro) e estão simultaneamente em túneis da Linha 5-Lilás, entre as estações Adolfo Pinheiro (já funcionando) e Campo Belo. Cada uma das máquinas constrói túneis paralelos que servirão como vias únicas para cada sentido da linha. Atualmente, ambas estão sob o eixo da Av. Santo Amaro, próximo a Av. Roque Petroni Júnior. Até o momento, foram escavados 2,3 km e instalados 1.527 anéis pela tuneladora que faz a via 2, enquanto que, na via 1, foram escavados 2 km e instalados 1.364 anéis.

Novas obras

O governador anunciou que no primeiro semestre de 2017 serão entregues três estações e depois mais seis no segundo semestre de 2017 e uma em 2018, que será a de Campo Belo. Falou ainda que no dia 8 de abril começam os trabalhos na nova Linha 6, que será a Linha da Educação, pois “passa pelas faculdades e universidades e será uma das grandes linhas de São Paulo, saindo do centro (Liberdade) passando debaixo de toda a cidade.

Mais características da estação AACD-Servidor

Seu método construtivo é por VCA (Vala a Céu Aberto) e atualmente, está em execução a construção das estruturas internas da estação e do acesso secundário, com o revestimento definitivo das paredes da vala principal e da vala do acesso secundário.

Sobre a tuneladora

A máquina que chega à futura estação AACD-Servidor é do tipo Shield EPBS (escavadeira de terra de pressão balanceada), fabricada na Alemanha, pela Herrenknecht AG. Tem 75 metros de comprimento, pesa 1,5 mil toneladas e conta com vários compartimentos ao longo da sua extensão: câmara de compressão; motores hidráulicos; parafuso sem fim (que faz a retirada do material escavado); esteira para o transporte do solo; eretor (equipamento que faz a montagem dos anéis de concreto) e o backup. O backup contém: cabine de comando, painéis de controle, transformador de energia, tanque hidráulico, sanitários, refeitório, além de trailers para o movimento de materiais.

Para a operação do Shield, são necessárias 180 pessoas, sendo 50 profissionais em cada turno, além de 30 operários de apoio. Com a produção diária (24 horas), o equipamento gera 154 metros cúbicos de terra por hora. A remoção desse material é feita pelo poço Bandeirantes e exige um caminhão basculante a cada 4 minutos.

“São Paulo terá cinco Shields, os dois chegam em novembro”, finalizou Alckmin.

Do Portal do Governo do Estado  

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*