Início Destaques Com principais lideranças, capital elege Fernando Alfredo presidente

Com principais lideranças, capital elege Fernando Alfredo presidente

O domingo foi de festa para o PSDB da capital, que realizou sua convenção e elegeu Fernando Alfredo para comandar o Diretório Municipal no biênio 2019/2020. As principais lideranças tucanas participaram do ato, que contou com as presenças do governador João Doria, do prefeito da capital Bruno Covas, do presidente nacional do PSDB, o ex-governador Geraldo Alckmin, do senador José Serra e do secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, entre outras lideranças.

Em um discurso emocionado, Fernando Alfredo afirmou que dedicou sua vida ao PSDB e recebe a presidência com a missão de reeleger o prefeito Bruno Covas em 2020. “Hoje só começa o nosso trabalho!”, afirmou.

Ele enalteceu o governador João Doria como maior liderança do PSDB e agradeceu o seu trabalho junto ao partido. “Quero agradecer todo o carinho, apoio e dedicação que você (Doria) teve com o Diretório Municipal. Sou testemunha viva do quanto nosso governador se empenhou para que nosso partido estivesse hoje estruturado”, disse.

Para Fernandão, a força do PSDB virá da união partidária. “Eu vejo aqui a militância unida, os segmentos, a juventude, as mulheres, o tucanafro, o núcleo LGBT, o núcleo cristão, o sindical. Todos fizeram convenção aqui hoje e renovaram seus quadros. Nós vamos juntos”, disse.

“Temos uma grande missão. O PSDB se renova, renasce deste momento, nós vamos pulsar nas ruas, estar próximos dos diretórios zonais (…) espere de mim um presidente atuante, próximo das bases”, concluiu.

Já o prefeito Bruno Covas reforçou o posicionamento de centro do PSDB e defendeu o legado do partido e suas lideranças, desde a luta pela redemocratização, passando pelo Plano Real e pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT. “Vivemos tempo de radicalização, de nau à deriva. Quando estamos sentindo a nau à deriva é importante voltar para as nossas bases”, disse.

“O que nos falta não é legado. É coragem de defender essa história. O que falta é falar em alto e bom som o que a gente pensa”, afirmou Bruno depois de elencar as ações do PSDB ao longo dos seus 30 anos de história. “Por falar em legado, o maior valor defendido pelo PSDB é a democracia”, disse ao se referir ao episódio em que o presidente Jair Bolsonaro negou a ditadura militar e contar a história do avô, Mario Covas, que foi preso no período. “Negar a ditadura é negar a história do PSDB e isso nós não vamos deixar acontecer.”

“Política não se faz com o fígado, se faz com o cérebro e com o coração. Vamos amar mais a democracia, respeitar a diferença e ajudar a construir esse país. Esse é o papel do PSDB, do qual sou militante e prefeito da cidade de São Paulo”, concluiu ao som de 1,2,3 é Covas outra vez, gritado pela militância presente.

O governador João Doria reforçou a defesa do legado tucano. “O caminho do PSDB deve valorizar a sua história mas entender também a dinâmica de um país que evolui no tempo e no espaço. Hoje o PSDB caminha para ser um partido de centro com respeito à esquerda e à direita com definições claras em suas políticas sociais, mas também liberal na política econômica”, disse.