Início Bancada Governo e Prefeitura de SP fazem testes de COVID-19 em áreas vulneráveis

Governo e Prefeitura de SP fazem testes de COVID-19 em áreas vulneráveis

Programa piloto em parceria da Secretaria de Estado da Habitação, Instituto Butantan e Prefeitura de São Paulo vai atender pessoas que vivem em áreas de alta vulnerabilidade social

 

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (13), a realização de testes em áreas vulneráveis, por meio do Programa de Testagem e Combate à COVID-19, um projeto piloto realizado em parceria entre a Secretaria de Estado da Habitação, o Instituto Butantan e a Prefeitura de São Paulo.

Inicialmente, serão aplicados 3,5 mil testes rápidos em moradores que vivem em áreas de maior vulnerabilidade social no Estado, começando pelo bairro União de Vila Nova, que fica no distrito da Vila Jacuí, na zona Leste da capital. O Governo do Estado já estuda com prefeituras a expansão para outras regiões da capital e do interior.

A identificação das áreas se deu a partir do Mapa de Comportamento da COVID-19, uma ferramenta de georreferenciamento criada pela Secretaria de Habitação e que, a partir do cruzamento de dados socioeconômicos, epidemiológicos e territoriais, orientam e planejam do programa de testagem.

“O programa começa com 3.500 testes e este mapa será dedicado às regiões vulneráveis do Estado. Trata-se de uma nova ferramenta que mapeia o comportamento do cornavírus e identifica, com precisão, a incidência do vírus sobre as áreas mais carentes e vulneráveis, como comunidades, cortiços, comunidades indígenas e quilombolas”, destacou Doria.

Uma equipe multidisciplinar, com cerca de 100 pessoas, entre profissionais das secretarias de Saúde e Habitação, municipais e estaduais, do Instituto Butantan, além de técnicos sociais da CDHU farão o trabalho de conscientização e seleção dos moradores que passarão pelo exame na União de Vila Nova. Os testes rápidos serão aplicados nos dias 14 e 15 de julho. Quem tiver o diagnóstico positivo, será submetido ao PCR, para contraprova, entre os dias 16 e 17 de julho. Os moradores infectados pelo coronavírus serão encaminhados para a UBS da região.

“O corpo técnico da Secretaria de Habitação detém um amplo conhecimento de atuação social em territórios de alta vulnerabilidade e está utilizando essa experiência nesta parceria com o Instituto Butantan para articular a aplicação dos testes na União de Vila Nova”, afirmou Flavio Amary, Secretário de Estado da Habitação.

Para iniciar o programa, a capital paulista foi escolhida por concentrar o maior número de pessoas em situação de vulnerabilidade social e vivendo em moradias precárias – cortiços, loteamentos irregulares e comunidades.

“As informações sintetizadas pelo Mapa de Comportamento da COVID-19 permitem identificar com precisão os locais de maior incidência de mortes pela doença e de pacientes internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave que testaram positivo para o novo coronavírus”, explicou Fernando Marangoni, Secretário Executivo da Habitação e coordenador do programa.

Mapa de Comportamento da COVID-19

A Secretaria de Estado da Habitação compilou e cruzou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Fundação Seade, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de São Paulo, da CDHU e das Secretarias de Saúde do Estado e dos municípios, para criar o Mapa de Comportamento da Covid-19. A ferramenta tem georreferenciados, além de dados epidemiológicos, com foco em óbitos e internações pela COVID-19, mais de 30 mil equipamentos públicos, municipais e estaduais e contempla, ainda, assentamentos precários como cortiços, comunidades e loteamentos irregulares. A precisão do mapa é de 99% e tem capacidade para delimitar residências e equipamentos num raio de 1 km quadrado.