Início Saiu na imprensa “Nós não podemos ter um governo de ódio”, diz Doria em entrevista

“Nós não podemos ter um governo de ódio”, diz Doria em entrevista

Incapacidade de dialogar e tendência incorrigível de causar conflitos desnecessários são os maiores equívocos do governo Bolsonaro, na avaliação de João Doria (PSDB). Em entrevista ao programa CB.Poder, parceria entre o Correio e a TV Brasília, o governador de São Paulo disse acreditar que o Executivo federal desperdiça tempo, energia e oportunidades com discussões irrelevantes ante as enormes carências do país. Além de agredir a democracia brasileira, os ataques despropositados e ofensas à imprensa dificultam — e muito — a superação dos impasses econômicos na agenda nacional. O clima de conflagração atrapalha até mesmo integrantes do governo bem conceituados por Doria, como Paulo Guedes e Ricardo Salles. Apesar de se considerar um crítico respeitoso de Bolsonaro e ter votado no então candidato em 2018, Doria vê graves equívocos na conduta presidencial. “Não é cabível a um presidente da República estimular a convocação da população para atacar o Congresso Nacional”, diz.

Arrepende-se de ter feito campanha com Bolsonaro em 2018?

Eu não fiz campanha com ele. Quero esclarecer que eu não fui o criador da expressão “BolsoDoria”. Essa expressão nasceu no interior do estado de São Paulo, vindo de uma camada, sobretudo de classe média, que desejava a eleição de Bolsonaro como presidente da República e a nossa eleição ao governo de São Paulo. LEIA A ÍNTEGRA AQUI