Início Notícias do PSDB Tucanos paulistas são indicados como mais influentes do Congresso

Tucanos paulistas são indicados como mais influentes do Congresso

Os deputados do PSDB de São Paulo Samuel Moreira, relator da reforma da Previdência Social, Carlos Sampaio (líder da bancada na Câmara Federal), Eduardo Cury e o senador José Serra foram indicados pelo  Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) na pesquisa “Os Cabeças mais Influentes do Congresso”.

O levantamento é feito anualmente pelo Diap e dele constamo os 100 parlamentares que se destacam no Parlamento, seguindo uma série de critérios. O estudo inclui ainda os 50 parlamentares em ascensão, ou seja, que virão a ser influentes.

PSDB aparece com  nove deputados federais e cinco senadores. Além dos paulistas, são citados no levantamento os deputados mineiros Paulo Abi-Ackel (MG) e Aécio Neves (MG) e os senadores Tasso Jereissati (CE), Antonio Anastasia (MG) e Roberto Rocha (MA). Na relação dos em ascensão aparece o senador Izalci Lucas (DF)..

Como parlamentares em ascensão constam na lista os deputados Geovania de Sá (SC), única representante da bancada feminina tucana, Beto Pereira (MS), secretário-geral do PSDB, Pedro Cunha Lima (PB), presidente do Instituto Teotonio Vilela (ITV), e Domingos Sávio (MG).

 

Critérios

O Diap adota critérios qualitativos e quantitativos, que incluem aspectos institucionais, de reputação e de decisão, a partir de postos ocupados, capacidade de negociação e liderança.

Para a pesquisa, são feitas entrevistas com parlamentares, assessores legislativos, cientistas e analistas políticos e jornalistas, além de levantamentos relacionados a projetos apresentados e a discursos proferidos.

O Diap considera ainda os resultados de votações, relatorias, intervenções nos debates, frequência de citações na imprensa, análise dos perfis e grupos de atuação.

Entrevistas

Além dos 100 mais influentes, o Diap relaciona outros 50 deputados que, segundo a metodologia, estão em ascensão. Nessa categoria, estão aqueles que recebem missões partidárias e buscam abrir canais de interlocução, criando espaços próprios.

Com informações do Correio Braziliense.