Início Notícias do PSDB Yeda Crusius, Presidente do PSDB Mulher, declara apoio a Doria nas prévias

Yeda Crusius, Presidente do PSDB Mulher, declara apoio a Doria nas prévias

O ex-governadora do Rio Grande do Sul, fundadora do segmento feminino do PSDB, entregou ao governador uma Carta-Compromisso

 

SÃO PAULO – O governador João Doria recebeu o apoio da presidente do PSDB Mulher Nacional, a ex-governadora do Rio Grande do Sul
Yeda Crusius, nas prévias tucanas que escolherá, em 21 de novembro, o candidato do partido à Presidência da República. O anúncio foi feito em encontro com mais de 4 mil filiadas tucanas neste sábado, dia 18, no WTC, em São Paulo.

“O PSDB é conhecido como um partido do muro, mas é porque a gente gosta de subir e olhar os dois lados. Tenho 30 anos de relação com Doria, de política vivida. Eu, pessoalmente, sou João Doria”, declarou Yeda, durante entrevista coletiva, em que estava ladeada por outras lideranças tucana, como a presidente de Honra, Solange Jurema (AL), a 1.a vice-presidente, Thelma de Oliveira (MT), 2.a vice, Edna Martins (SP), e a deputada estadual e líder do governo na Assembleia de São Paulo Carla Morando (SP). Também estavam à mesa o vice-governador Rodrigo Garcia e a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

Yeda destacou que PSDB Mulher dá “total autonomia” para todas as filiadas encolherem o seu candidato nas prévias. “Isso é democracia interna. Mas eu sou João Doria. Não ficarei no muro”, disse Yeda taxativa.

Com a experiência de quem foi governadora do Rio Grande do Sul, a gaúcha destacou o trabalho de Doria a frente do Estado de São Paulo. “Agradeço a João Doria, que faz uma política de mulheres diferenciada em relação a todo o Brasil e isso (os programas do Governo Estadual) deve ser estendido para todo o país, respeitada as diversidades regionais”, afirmou Yeda.

Doria destacou os esforços do governo durante a pandemia da covid-19, em que o Estado redobrou investimentos na saúde e em políticas sociais para atender, sobretudo, os mais vulneráveis. “A Saúde no Estado de São Paulo tem a melhor estrutura do país. E vai demandar muito mais após a pandemia. Atendemos todos e, especialmente, os mais vulneráveis. São Paulo tinha 3.200 UTIs antes da pandemia, hoje temos 8 mil. Temos mais UTIs do que a Espanha, país com população equivalente a São Paulo”, afirmou João Doria, lembrando que São Paulo é o Estado que mais vacina no Brasil.

A enfermeira Mônica Calazans, a primeira brasileira vacinada no País, acompanhou a entrevista coletiva e também o encontro do PSDB Mulher com João Doria, que aconteceu na sequência.

VICE
O governador João Doria adiantou, durante a entrevista, que se vencer as prévias do PSDB em novembro, terá uma vice mulher na sua chapa presidencial. “Se tivermos oportunidade de vencer, além de dialogar com vários outros partidos, vamos buscar uma mulher para ser vice na chapa do PSDB na Presidência da República”, declarou o governador, sendo aplaudido.

Doria fez questão de frisar que foi uma decisão tomada por ele, “e não uma reivindicação das tucanas”. “O governador João Doria tem aprofundado e modernizado toda a pauta da mulher na política”, avaliou Yeda.

CARTA

Doria assinou uma Carta-Compromisso do PSDB Mulher Nacional para o Brasil apresentada por Yeda Crusius ao governador. O documento é pautado no Planejamento Estratégico 2021/2022.

“Hoje assinamos uma carta para incentivar e apoiar a participação das mulheres na política, por uma sociedade mais justa, igualitária”, disse Doria.

Yeda Crusius fez questão de enaltecer o fato de São Paulo sediar um evento como este do “PSDB Mulher com Doria” no WTC. “Esse encontro de hoje trata-se da defesa da mulher, que sofre na política e sofre com os indicadores vergonhosos que temos”, disse a gaúcha.

“O PSDB foi o único partido que cumpriu a cota de 30% para as mulheres nas eleições de 2020. No nosso partido, tivemos o fundo eleitoral com autonomia nas mãos do PSDB Mulher. Isso é uma tradição do partido. E estamos reafirmando esses compromissos na carta, para que não haja perigo de retrocesso, porque há o perigo do retrocesso diante do que a gente vê no Congresso Nacional”, disse Yeda, que fundou o PSDB Mulher em 1998.

A Carta-Compromisso assinala que “mesmo as mulheres representando 52,35% do eleitorado brasileiro, a participação das mulheres na política é numericamente irrisória, e essa maioria não se traduz em representação no resultado das eleições”.

Em 2020, o PSDB elegeu 55 prefeitas, entre elas, a única prefeita de capital, Cinthia Ribeiro. Elegeu também 64 vice-prefeitas e 719 vereadoras.