Início Saiu na imprensa Presidente do PDT-MA diz que partido não pagou viagens de Lupi

Presidente do PDT-MA diz que partido não pagou viagens de Lupi

Folha.com

O presidente do diretório regional do PDT do Maranhão, Igor Lago, disse nesta quarta-feira (16) que o partido não pagou transporte aéreo para a viagem do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, ao Estado.

“Encaminhamos a declaração de contas de 2009 ao presidente do partido, [André Figueiredo]. Não há referência sobre isso. O PDT [do Maranhão] não pagou aluguel de aeronave”, ressaltou.

Lupi diz a Dilma que tem como se defender de acusações
Planalto já discute com PDT saída de Lupi
Comissão aprova convite para que Lupi se explique ao Senado
Lupi usou avião pago por dono de rede de ONGs, afirma revista

Segundo denúncia divulgada pela revista “Veja”, o ministro do Trabalho usou um jatinho de Adair Meira, diretor de ONGs (organizações não governamentais) que têm contrato com a pasta. O ministro disse que as viagens de jatinho que fez foram pagas pelo diretório no Estado.

Lago explicou que a confusão pode ter sido feita porque havia na agenda de Lupi no Estado, naquela data, eventos ligados ao partido.

Na semana passada, em audiência pública na Câmara dos Deputados, Lupi negou conhecer Meira e ter viajado em uma de suas aeronaves.

Amanhã (17), o ministro vai prestar esclarecimentos na Comissão de Assuntos Sociais do Senado.

DEFESA

Lupi esteve hoje com a presidente Dilma Rousseff, disse que tem como se defender e, por enquanto, fica no cargo até que o Palácio do Planalto avalie a repercussão das explicações do pedetista.

Durante a audiência com a presidente, Lupi afirmou que as últimas notícias sobre sua viagem num avião particular não o desmentem. Ele disse a Dilma que o que havia afirmado é não ter viajado em avião particular do empresário Adair Meira, diretor da ONG Pró-Cerrado, que tem convênios com o ministério.

Reportagem da revista “Veja” afirma que o ministro fez uma viagem oficial ao Estado do Maranhão em dezembro de 2009 a bordo de um avião turbo-hélice King Air “providenciado” por Meira, que comanda uma rede de ONGs que mantém convênios com o ministério no valor de R$ 10,4 milhões.

Ainda segundo a revista, o avião pertence a uma empresa de Goiânia (GO) –mesma cidade da sede da ONG comandada por Meira–, a Fundação Pró-Cerrado.

Em audiência realizada na Câmara dos Deputados na semana passada, o ministro disse aos deputados que nunca andou em “aeronaves pessoais”, incluindo as de Meira. Sobre o empresário, Lupi admitiu que “pode e deve” ter se encontrado com ele por ocasião de assinaturas de convênios, mas que não mantinha “nenhuma relação” com o empresário.